terça-feira, 3 de junho de 2008

Filosofia e Sociologia, obrigatórias na escola... uma faca de dois gumes...

Em evento realizado na tarde desta segunda-feira (2 de junho de 2008), no Palácio do Planalto, a Lei que torna obrigatório o ensino de Filosofia e Sociologia, no ensino médio, nas escolas da rede pública e privada do país foi sancionada pelo Presidente da República em exercício, José Alencar.

O professor aposentado de Filosofia da USP, José Arthur Giannotti se diz tradicionalmente contra a proposta - aprovada na Câmara em 2003 e pelo Senado no mês passado - e qualificou a medida de "triste bobagem".

- O aluno não vai formar senso crítico, porque ele não vai formar senso. Fazer com que as pessoas falem coisa com coisa, que aprendam português, aprendam a raciocinar, que aprendam a ser críticas ao que está nos jornais ou às imagens da televisão... nada disso está acontecendo. Como ensinar filosofia para esse pessoal?

De acordo com o professor da USP, se o Brasil dispusesse de profissionais qualificados para o ensino de filosofia, a medida seria "a coisa mais sensacional do mundo", mas nossa realidade não é essa:

- Ora, nós sabemos que um grande problema do ensino médio é a ignorância dos professores, que foram muito mal formados. A meu ver, há coisas mais importantes, que são prioridades, do que ensinar filosofia. Em particular ensinar português, como todos sabem, além de física, biologia, matemática, história, geografia... Isto é, se situar no plano da linguagem, da ciência e da temporalidade. Coisa que a maioria dos professores de ensino médio não é capaz de fazer. Nós vamos gastar tempo e esforço em coisas subsidiadas ao invés de focar no fundamental.

De Tales a Platão

Outro aspecto que preocupa Giannotti diz respeito à qualidade dos cursos de filosofia e sociologia que serão oferecidos. Ele ressalta que somente agora o país está realmente formando filósofos. Acrescenta que, em conseqüência disso, muitos dos que começarão a lecionar esses conteúdos não são necessariamente filósofos ou sociólogos, ocuparão ad eternum as vagas oferecidas em concursos e acabarão por "engessar o ensino filosófico no país".

- As pessoas vão começar a estudar os pré-socráticos, falando de Tales, depois Parmênides, Platão, Aristóteles e se chegar aos estóicos vai ser muito. Teremos um curso de filosofia que vai se resolver numa "decoreba" danada - prevê Giannotti.

Texto do Terra Magazine


Do Blog:
Há dois aspectos na questão.

Primeiro:
É louvável a iniciativa para o ensino de filosofia nas escolas em todo o Brasil, ajuda os alunos no aprendizado do pensamento e da centralização de idéias, compartilhamento de teses e idéias e aguça o raciocínio.

A sociologia pode e deve despertar no aluno o sentimento cívico, levando a ele, conhecimento que será sua orientação para o futuro, dando-lhe base para ser um cidadão mais consciente dos problemas da sociedade mundial, ajudará muito o aluno a situar-se numa sociedade cheia de desigualdades.

Segundo:
Todavia, há que se ter cuidado, pois, tanto a filosofia como a sociologia, são assuntos que não deverão ser usados nas escolas, entre jovens na puberdade e adolescência como método de “lavagem cerebral” ou “formação de princípios e valores dirigidos”, de acordo com idéias e ideais políticos para fins eleitoreiros. Trocando em miúdos, o estudo dessas duas matérias essenciais para a formação do caráter da criança e do adolescente, não pode ser usado para criar uma nova geração de alienados dessa ou daquela idéia político-partidária.

Ensinar a criança e o adolescente a pensar e a se socializar é uma coisa. Outra bem diferente é guiá-lo, fazendo-lhe a cabeça com idéias deste ou daquele partido. Temos que estar atentos e os pais muito alertas e fiscalizar sempre o que seu filho está aprendendo na escola.

10 comentários:

  1. EM VEZ DE FILOSOFIA E SOCIOLOGIA, ESTES POLÍTICOS DEVERIAM APROVAR A VOLTA DA EDUCAÇÃO MORAL E CÍVICA.

    É UMA PENA TODA ESSA IDIOTICE.

    NOA ATUALIDADE VIVEMOS A ERA DA IDIOTICE, ONDE MUITA GENTE CULTUA GENTE COMO HUGO CHAVES, MORALES, KIRCHINER, CORREA E LULA. BENZA A DEUS!!!!

    LULA POR EXEMPLO SERIA UM BOM PREFEITO DE UMA CIDADEZINHA COM 10 MIL HABITANTES, E NÃO MAIS QUE ISSO, VOTARIA NELE PARA TAL CARGO. AGORA DIRIGIR O BRASIL JUNTO A ESTA PALHAÇADA TODA QUE ESTÁ AÍ, SOEMNTE COM A MISERICÓRDIA DE DEUS. UM HOMEM QUE MAL SABE TECLAR UM COMPUTER, VIVE LADEADO DE PUCHA SACOS, NÃO TEM IDÉIAS DEFINIDAS, SO FALA EM PAC, PAC, E ETANOL, PARECE QUE NÃO ENXERGA OS GRANDES PROBLEMAS BRASILEIROS!!! CAD~E AS SOLUÇÕES PARA UM PLANEJAMENTO FAMILIAR, UMA EDUCAÇÃO CAPAZ DE ALAVANCAR A MISÉRIA E A IGNORÂNCIA DO POVO? E A CRIMINALIDADE ONDE IREMOS PARAR? AS INSTITUIÇÕES ESTÃO PODRES, A SAÚDE QUE DEUS TENHA COMPAIXÃO DO POVO BRASILEIRO. É UMA PENA VER ESSE GRUPO DE EX - GUERRILHEIROS, SE APOSSAREM DO BRASIL, COM SUAS IDÉIAS TÃO PEQUENAS E AINDA POR CIMA, MAL INTENCIONADAS. eNTÃO !!! EDUCAÇÃO MORAL E CÍVICA JÁ NAS ESCOLAS!!!! PARA QUE OS PEQUENOS VEJAM DESDE CEDO O QUE É ÉTICA E O QUE É VERDADEIRAMENTE UM SENTIMENTO PATRIÓTICO!!!! PARABÉNS AO GENERAL HELENO, COMANDANTE MILITAR DA AMAZÔNIA!!! UM HOMEM DE MORAL ACIMA DE TUDO, QUE TEVE A CIORAGEM DE DIZER QUE O EXÉRCITO NÃO ESTÁ AÍ PARA SERVIR GOVERNO, MAS SIM À PÁTRIA E A NAÇÃO BRASILEIRA!!!!!! VIVA O BRASIL!!! VIVA AS CRIANÇAS DESTE PAÍS!!!E ABAIXO ESTAS IDÉIAZINHAS DE POLÍTICOS CORRUPTOS QUE PERDERAM A MORAL DE VEZ!!!!

    ResponderExcluir
  2. Tolice é perder tempo com um texto desse tipo. Intelectuais tancafiados nas universidades desmerecendo seus formandos...essa é uma grande oportunidade, vamos aprender e tirar proveito desse grande acontecimento.

    ResponderExcluir
  3. A VADIAGEM TOMA CONTA DO PAIS, DUAS MATERIAS DE ESTREMA PORCARIA, OS GREGOS SAO TODOS VIADOS, OLHE PLATAO, E SEUS DISCIPULOS, UMA BICHARADA DE TOTAL LIBERALIDADE, E O MUNDO VAI DE MAL A PIOR, E O NOSSO PAIS, QUAL A AULA QUE VAI SAIR DE CENA, PORTUGUES, MATEMATICA, NAO SABEMOS NEM LER E ESCREVER, MUITO MENOS FAZER UMA CONTA DE PORCENTAGEM COM DESCONTO POR DENTRO, AGORA COLOCAR ESTE LIXO, DE FILOSOFIA E SOCIOLOGIA, FAZEM ME UM FAVOR, AQUI A DOIS ANOS TEREMOS ELEIÇOES E ESTA NA HORA DE DIZER NAO A ESTA DEMOCRACIA PODRE.

    ResponderExcluir
  4. O texto do anônonimo é a prova mais contundente do acerto da medida.Se tivesse estudado filosofia e sociologia não diria tanta besteira.

    ResponderExcluir
  5. Concordo em gênero, número e grau com o anônimo das 14:55

    ResponderExcluir
  6. Concordo em gênero, número e grau com o anônimo das 14:55

    ResponderExcluir
  7. Triste é ver que um país como o Brsil com toda sua potencialidade ainda tem professores universitário incapazes de formar bons mestres seja na área que for (como o o referido prof. da USP) , triste é ver uma criatura como o anônimo que ser quer é capaz de ter idéias conexas, e ainda se coloca contra a 1ª possibilidade de criarmos cidadãos capazes de formularem pensamentos.Quanto a volta da disciplina de Moral e Cívica, fica bem claro o mal causado pela ditadura militar que até hoje repercute em pessoas como o nosso amigo anônimo.Um Pais em condição de ter seu povo com o mínimo de capacidade formular um pensamento em áreas diversas, é um país com grandes propabilidades de não voltar a ser colônia como querem alguns. Já vem tarde, ainda bem que em tempo, a obrigatoriedade da filosofia e Sociologia.

    ResponderExcluir
  8. Serenamente Axé - AFROSUL disse o que se faz necessário, não um falso revolucionário que pede ética sem saber de onde ela realmente veio. Vai estudar filosofia quem sabe “senhor anônimo” você aprende algo com quem sabe realmente pensar e distinguir os reais problemas de nossa sociedade.

    ResponderExcluir
  9. É triste ouvir da boca de um dos mais notáveis intelectuais do Brasil tamanha bobagem. É óbvio que corre-se uma série de riscos. Mas usá-los para juntificar que as coisas fiquem como estão é algo que só os tolos fazem. A fala do Sr Gianotti soa mais como uma confissão de que fracssou como formador de filósofos.

    ResponderExcluir
  10. Bem, a questão é a seguinte: o "intelectual" não quer que as pessoas pensem. Diz ele singelamente que os outros devem aprender o básico - ele não se inclui entre estes outros, claro. E o que é o básico? Noções básicas de português e aritmética? Talvez, segundo ele, física, matemática, biologia. Mas física, matemática e biologia não compõem o conhecimento filosófico? Por que não aprender Lógica, Ética e ter noções das principais escolas filosóficas? Qual a razão do impedimento? A vontade do "intelectual"? Ora, tenha paciência.

    Há três possibilidades de "pensamento" da "sumidade": cerceamento do direito alheio ao conhecimento, estupidez pura e simples, ou alguma combinação das duas hipóteses anteriores. Qualquer uma delas é lamentável, obviamente.

    Quem este "intelectual" pensa que é para se colocar contra o acesso ao conhecimento? Deve se julgar acima de todos, porém parece ser apenas arrogante e estúpido. Aliás, a arrogância é corolário da estupidez.

    E olhe só que argumento pífio o do intelectual: como não se tem pessoas preparadas (segundo ele) para lecionar, impeça-se o acesso ao conhecimento filosófico de todos. É inacreditável. Ora, o sistema de ensino que se vire para atender a demanda legítima da população por conhecimento. No início, talvez a formação não seja tão boa, porém, com o tempo, será aprimorada. Mas é preciso que se comece. Imagine se todos os que se vissem frente a um problema difícil pudessem fazer como o "intelectual": suprimir o problema! É triste e lamentável!

    ResponderExcluir