quarta-feira, 11 de março de 2015

HAITIANOS FORAM ATÉ CIDADE DO POVO FAZER PRESSÃO PARA CONSEGUIR CASAS
Foto: AC24horas
Cerca de 100 haitianos e senegaleses foram até o Cidade do Povo para participar da recepção à Presidente Dilma Roussef, eles gritaram o nome da Presidente e também "Haiti". Essas pessoas tem continuadamente chegado ao Acre através da fronteira com a Bolívia, depois de viajarem de seus países de origem com todo tipo de dificuldade e sendo explorados por "coiotes" que os descarregam às centenas no Brasil, um país de fácil "invasão", onde as Leis são muito flexíveis com fronteiras fáceis de serem vencidas. 
O Acre não tem lugar para essas pessoas, pois, por aqui não temos onde incorporá-los no mercado de trabalho, não existe trabalho no Acre nem para os acreanos, imaginem para pessoas que deixaram seus países, pouco sabem da nossa língua e muitos não tem nenhuma profissão, aceitando qualquer trabalho, por qualquer salário. Ah! Mas, temos que ser humanos! Claro que temos, mas, precisamos primeiro tentar resolver nossos problemas domésticos, para depois tentar resolver os problemas dos outros. 
DILMA CRITICA OS ABRIGOS OFERECIDOS PELO GOVERNO AOS DESABRIGADOS!

Foto: Contilnet Notícias
Como não poderia deixar de ser, pois, salta aos olhos de qualquer pessoa e não passou despercebido para a Presidente Dilma Rousseff em visita aos atingidos pelas cheias do Rio Acre, a "qualidade" dos abrigos oferecidos aos desabrigados que é de péssima qualidade, são apenas algumas perna-mancas com uma lona em volta, onde as pessoas são jogadas com seus pertences, crianças, adultos e idosos. 
O Sebastião não tem conseguido fazer muito sucesso com o Governo Federal nos últimos tempos, o Ministro da Integração Gilberto Ochi, veio até o Acre pra tomar pé da situação da enchente e viu que o governo tem onde acolher os desabrigados, sem precisar usar os famigerados "abrigos", mandou que Sebastião Viana entregasse as casas do Cidade do Povo à pelo menos 1000 famílias. 
O governo estava guardando essas casas para serem entregues no ano que vem, para servirem como moeda de troca nas eleições municipais do ano que vem, mas, teve que ceder ao "pedido" do Ministro. 


Publicidade

Publicidade