sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Violência é sinal de progresso?

Segundo o programa eleitoral da Frente Popular, há duas causas para a atual violência no Acre:

1 – O alto índice de desenvolvimento do Acre, o “grande” volume de dinheiro que está circulando no Acre nos últimos tempos e quer nos fazer crer que “violência é uma conseqüência de progresso” e do tráfico de drogas.

2 – O morto esquadrão da morte. Segundo dizem eles, foi o esquadrão da morte que “deu o pontapé inicial” na violência no Estado do Acre.

Vamos por parte, como diria Jack o estripador!

O alto índice de desenvolvimento do Acre, simplesmente só existe nas mentes sombrias e lavadas dos militantes e dirigentes do PT; o grande volume de dinheiro circulando no Estado está apenas nas contas e nas mãos dos petistas e dos empresários que são seus apoiadores e financiadores, o povo continua do mesmo jeito, sobrevivendo. Se progresso trás violência, então era pra gente por aqui, viver pacatamente, visto que nosso “progresso” é só virtual. Os crimes bárbaros que têm acontecido, porém, são a mais terrível “realidade”.

O que causa a violência é a inapetência do governo para desenvolver o estado e gerar emprego para os pais de família poderem sustentar suas casas, se houvesse progresso, haveria emprego para todo mundo e a violência seria menor e não maior. O tráfico de drogas certamente é um gerador de violência, os dirigentes públicos conseguem apenas prender traficantes “pé de chinelo”. Quando alguém “grande” no tráfico de drogas foi peso no Acre? Será que o Acre é só um corredor por onde a droga passa? Acho difícil! Ficar prendendo mulas que carregam pequenas quantidades de droga é desperdiçar a ação policial.

Não existe idiotice maior do que colocar a culpa da violência galopante que nos assola no extinto “esquadrão da morte”, se o esquadrão da morte é a causa da violência atual no Acre é porque a extinção dele foi apenas uma farsa. Afinal o esquadrão foi extinto ou não?
O que foi dito hoje no programa eleitoral é coisa de gente que não tem o que dizer, então fica inventando histórias e se fazendo de vítima, tentando jogar a opinião pública contra os adversários políticos.

O Acre tem o menor índice de violência, porque nós “somos os menores”, somos em qualquer cidade do Acre, comunidades “perdidas no meio da floresta amazônica”, com índices de violência contra a vida “de cidades grandes”, na realidade, contrariando o que diz o PT, por aqui deveria ser um fato marcante e não corriqueiro, os assassinatos e mortes violentas.

A violência não é, e nem pode ser uma conseqüência do progresso e do desenvolvimento. Com desenvolvimento, há o aumento da geração de emprego e renda da população e como consequência a violência tenderia a diminuir. Não havendo desenvolvimento a tendência normal é o aumento da violência.

Querer fazer crer que o motivo da violência são os outros, ou fatores que não existem, é sinal de incompetência para gerir a coisa pública. 

2 comentários:

  1. Rosinha da Abolição Acreana4 de setembro de 2010 16:34

    Já ñ basta a tv globo ter desmascarado os índices vergonhosos de analfabetismo e subdesenvolvimento do estado, estes patifes ainda tem a cara de pau de dizer q tá tudo bem QD tá morrendo praticamente uma pessoa a cada 40 minutos no estado inteiro!? Pessoal, vamos dar óleo de peroba prá essa gente passar na cara, q horror ouvir mentira todos os dias em programas pagos com dinheiro dos nossos impostos! O contribuinte ñ paga imposto p/ financiar a mentira e a corrupção! Fora PT, vocês ñ se importam mais c/ ninguém além de si mesmos!

    ResponderExcluir
  2. Pra todo problema no Acre existe um culpado fora do Estado. 1 - Quando o assunto é violência o problema é o progresso? Se isso é verdade, estão querendo trazer a desgraça total com a industrialização? E se esta suposta industrialização é fundamental, então vamos assistir a inoperância do estado em gerir as questões internas.
    Afinal, tratando-se de assalto por meliantes "profissionais" a Segurança Publica pega olé; Tratando-se de sequestros,nem se fala, não se sabe nem como agir na situação e os casos ficam ao acaso.
    2 - quando se trata de queimadas o problemas é da Bolívia e do Mato Grosso. Afinal, ao que tudo indica o Acre agora é 100% fogo apagado. E caso ocorra algum incêndio florestal, deve ter sido um relampago em época de estiagem (rs).
    3 - E por fim, para não se estender muito, se os governos e candidatos admitem que o problema é o tráfico na fronteira, porque as referidas ficam sem vigilância? OU melhor, porque ao final de cada ano a queima de droga em nosso estado não passa de uma média simbólida de 250 a 300 kg? É pouco entorpecente apreendido para uma reconhecida rota do tráfico nos mapas de circulação mundial deste produto malévolo.

    ResponderExcluir