sexta-feira, 28 de maio de 2010

Evo e a coca (não é Coca-cola)


Ora bolas! Tem gente dizendo que José Serra está exagerando quando diz que Evo Morales é cúmplice pelo tráfico de drogas. Ele não é cúmplice pelo "tráfico", ele só apoia o plantio da droga e chama isso de, pasmem, "reforma agrária".

Se Evo não for cúmplice, ele é relápso no combate ao plantio e à industrialização do produto, isso pra não falar no transporte dentro da Bolívia, que pelo que se vê é bastante fácil, dado à quantidade que chega ao Brasil, só pelo Acre.

O Acre antigamente era apenas uma rota eventual de tráfico de drogas, mas, com a abertura de estradas e fronteiras, as coisas agora estão chegando aos níveis de toneladas. Sim, porque essas "merrecas", 2kg/5kg/30kg, que são apreendidas pela polícia, são apenas o engodo pra entreter as autoridades, haja vista que em geral são "denúncias anônimas", enquanto certamente a carga principal, passa pela polícia com facilidade.

As autoridades acreanas apoiam a idéia de que o Acre seja o "elo de ligação" com os países andinos e com o Pacífico, tem gente dizendo que vai exportar "bambu" pra China, que vai melhorar muito a nossa economia e etc e tal... Enquanto deveríamos fechar nossas fronteiras, pra dificultar o tráfico, pois, é sabido que o tráfico de drogas no Acre, nos últimos tempos aumentou assustadoramente, que move muito dinheiro e, que "emprega muita gente", nós estamos abrindo cada dia mais.

E depois perguntam porque é que a violência tem aumentado muito e está descontrolada por aqui!

3 comentários:

  1. Na Bolívia, antes do Evo, era realizado rotineiramente o "narco-test" nos aviões pequenos que chegavam aos aeroportos, para descobrir se haviam restos de cocaína transportada. Depois que o Evo despachou a DEA e mandou os americanos para casa, nunca mais pegaram nenhum avião , só os que caem por acidente, e nunca se viu tanto teco-teco indo e vindo , desde cedinho, do Chapare para as fronteiras. É constatação. Nunca se produziu tanta droga naquele país como agora.

    ResponderExcluir
  2. Como diz a Dilma Rousseff(PT), em relação ao país que "exporta" toneladas de cocaína ao Brasil todos os anos, que vira o crack que já está exterminando 1.300.000 de jovens brasileiros,"[a Bolívia] é um país pequeno, e por ser um país pequeno, a delicadeza tem que ser maior". Se no governo do Lula já foi a delicadeza que vemos , em um eventual governo Dilma mandaremos os escoteiros para a fronteira da Bolívia e despacharemos a Embrapa para o Chepare, pela rodovia nova financiada pelo BNDES, para desenvolver as plantações de coca. Quem sabe uma coca transgênica bolivariana com tecnologia brasileira?Esta é a proposta da Dilma: ter "delicadeza" com um país que mata os nossos jovens; evitar a "demonização" do maior fornecedor de drogas para o Brasil; salvar os miseráveis bolivianos às custas da vida dos miseráveis drogados do nosso País.

    ResponderExcluir
  3. Nielsen O. M. Braga31 de maio de 2010 15:06

    Serra nunca foi tão feliz e oportuno numa declaração ('A Bolívia financia o tráfico') que fala do óbvio e que, infelizmente, é suavizada pela ala petista, por esta achar bacana que o Brasil seja 'amiguinho' da Bolívia. Essa Dilma, esse 'Mula' e todos que os seguem estão mesmo passando de todos os limites. Não estão apenas nos chamando de otários, estão nos diplomando com o 'certificado de otarice' e alguns ainda estão assinando embaixo! Tentam empurrar Serra no precipício insensato das palavras ditas 'fortes', mas são essas palavras e declarações de cunho 'forte' que vão restabelecer a moralidade até mesmo entre os imorais profissionais de Brasília.

    ResponderExcluir