terça-feira, 26 de outubro de 2010

Deu no The Economist

Em uma disputa emocionante, José Serra seria um presidente melhor do que Dilma Rousseff

De junho até o final de setembro, Dilma Rousseff parecia estar viajando para a presidência do Brasil, com uma vantagem de pesquisa que estava a ponto de colocá-la quase 25 pontos à frente de seu principal adversário, José Serra. Mas uma eleição que parecia um galope tranquilo, de repente se transformou em uma louca corrida. Tendo falhado a vitória em 1º turno em 03 de outubro, Dilma Rousseff, a ex-chefe de pessoal e candidato escolhido de Luiz Inácio Lula da Silva. O Presidente que deixa o cargo, imensamente popular, enfrenta um segundo turno contra o Sr. Serra em 31 de outubro. Várias pesquisas recentes mostram a distância entre eles de apenas cinco ou seis pontos.

José Serra tem sorte de ter uma segunda chance, para sua campanha, até há pouco foi infeliz. Ele deve a sua prorrogação, principalmente, à votação inesperadamente forte de um terceiro candidato, Marina Silva, que ganhou 19,3% em 03 de outubro. Menos felizes, os líderes religiosos podem ter influenciado alguns eleitores contra Dilma Rousseff, que já apoiou o direito ao aborto. Rousseff ainda pode ser o favorito para ganhar, mas José Serra tem uma chance nesta etapa e a eleição está totalmente aberta. O Brasil agora tem uma escolha.

Isso é uma coisa boa. Dilma Rousseff não merecia ganhar no 1º turno, só porque ela foi o sucessor escolhido a dedo por Lula. Qual candidato merece mais a presidência? Ambos estão de acordo sobre as linhas gerais da política económica e social. Nenhum dos dois pode representar uma catástrofe para o Brasil. Dito isto, os temas sobre os quais discordam, o Sr. Serra é o mais convincente dos dois.

Dilma Rousseff e os governantes do Partido dos Trabalhadores(PT) querem que o Estado desempenhe um papel maior na economia. Eles estão especialmente interessados na indústria do petróleo, mas eles também querem continuar emprestando dinheiro público para as grandes empresas para sustentar grandes empresas nacionais. Em contrapartida, em alguns casos, eles querem mais influência dentro dessas empresas. É difícil vê-los interessados em pôr fim ao crescimento inexorável da folha de pagamento pública, inchada por nomeações de milhares de cargos comissionados, e da carga tributária necessária para pagar por isso.

O caso de mudança no topo do poder

José Serra também tem falhas, notadamente, uma tendência preocupante para ta ser centralizador. Mas seu passado político sugere que ele poderia se mover mais rápido em cortar gastos desnecessários e eliminar o déficit fiscal, e que ele seria mais ágil para mobilizar capital privado para a infra-estrutura tão necessária. A política monetária não teria mais que carregar todo o fardo de manter a inflação sob controle, permitindo taxas flagrantemente alta de juros do Brasil. A queda das taxas ajudaria a deter a valorização excessiva do real. Dilma Rousseff tenderia a corrigir as distorções de forma mais gradual. Em um mundo incerto que é desnecessariamente arriscado. Para todas as suas conquistas no combate à pobreza e fazendo do Brasil um lugar mais justo, Lula vai legar um país onde um em cada dois lares falta de rede de esgotos e os padrões educacionais continuam em estado calamitoso. Essas devem ser as prioridades de gastos públicos.

Há duas outras razões por que os brasileiros fariam bem em votar em José Serra. A primeira é que Rousseff não é Lula. Falta-lhe o seu extraordinário passado político e talvez também seu pragmatismo inato. Por outro lado, embora José Serra possa ser um militante pobre, ele tem sido um eficaz ministro, prefeito e governador. Em segundo lugar, apesar de nenhum partido político ter o monopólio quando se trata de corrupção, há muitos sinais de que o PT tornou-se muito confortável com o poder. Após oito anos sob a PT o Brasil se beneficiaria de uma mudança no topo.

4 comentários:

  1. Só as topeiras brasileiras não enxergam isso... Pelo visto alastrar o país de bolsas-isso-e-aquilo pagas pelo contribuinte foi um ótimo modo de arrancar votos e cegar o povão para os altos esquemas de corrupção... esse Lula é o demo e sua pupila Dilma é o próprio Satanás de saias!!!

    ResponderExcluir
  2. Serra está açoitando o lombo dessa anta nos debates, dá gosto de ver ele descer o braço enquanto ela gagueja e confunde palavras como na hora em que falava das cadeias brasileiras e citou sistema 'previdenciário' ao invés de 'penitenciário'... Tá louca a ex-guerrilheira, interna de vez no manicômio, camisa de força nela!!! kkkkkkkk...

    ResponderExcluir
  3. Eleutina Gomes das Neves27 de outubro de 2010 09:48

    Serra é O CANDIDATO com mais discurso e postura de PRESIDENTE... Essa senhora não une lé com cré, parece saber apenas sobre petróleo (é só sobre o que ainda consegue falar com franqueza nos debates), não tem conhecimentom de causa dos outros problemas brasileiros, um desastre completo que o PT empurra pra cima da população semianalfabeta...

    ResponderExcluir
  4. Osmarina Cavalcante, Serva do Senhor27 de outubro de 2010 13:51

    Como que pode ia votar na Dilma, até descobrir que é favorável a aborto, explodiu carros que mataram pessoas no passado e ainda por cima, ela é atéia e blasefemou em Minas GERAIS DIZENDO QUE NEM JESUS CRISTO TIRA ESSA VITÓRIA DELA, CREDO! QUE MULHER ARROGANTE! VOTO MAIS NELA, NÃO! Espero que outras pessoas de bem enxerguem quem ela é a tempo de reverter a favor do SERRA, esse sim, gente boa!

    ResponderExcluir